Informação sobre erisipela, causas, sintomas, diagnóstico e tratamento da erisipela, assim como formas de melhorar os sintomas desta doença.


Como detetar e evitar a Erisipela

Os principais sintomas da erisipela são comuns a qualquer quadro infeccioso, como calafrios, febre alta, mal estar, dor de cabeça, náuseas e vômitos. Em seguida, aparecem alterações da pele, variando de uma simples vermelhidão local a dor, inchaço, formação de bolhas com conteúdo claro ou purulento e úlceras com necrose da pele. Desta forma se manifesta a Erisipela. “É uma infecção de pele que pode atingir a gordura subcutânea, quando então pode ser chamada de celulite, de qualquer parte do corpo, causada por bactéria do tipo Streptococo, que penetra na pele e propaga-se pelos vasos linfáticos”, explica a Drª. Adriana Fudaba Orra, Cirurgiã Vascular do Hospital Ribeirão Pires. Segundo a médica, Streptococo é uma bactéria comum na pele, mas que causa infecção quando encontra um meio de penetrar. A porta de entrada pode ser qualquer ferimento ou micose interdigital, como a popular frieira. Pernas inchadas também facilitam a propagação da bactéria e, neste caso, provocam também gânglios (ínguas) nas virilhas. Drª. Adriana lembra que alguns grupos estão mais propensos a desenvolver a Erisipela. É o caso de obesos, diabéticos, idosos e pessoas que tenham lesões nas pernas, como úlceras, micoses e rachaduras. A primeira coisa a fazer ao notar os sintomas é procurar um médico Cirurgião Vascular, que vai receitar antibióticos adequados, recomendar repouso para diminuir o inchaço e tratar as micoses associadas. “Em geral, também recomendamos medidas adequadas de higiene e prescrevemos medicações de suporte, como antiinflamatórios, analgésicos, venotônicos e diuréticos.”, explica Drª. Adriana. Embora pareça um problema simples, a Erisipela pode causar complicações sérias, se não for tratada de forma adequada. O paciente pode ficar com manchas, abscessos, ulcerações, desenvolver trombose venosa profunda e, principalmente, um linfedema, isto é, um edema crônico e persistente do membro acometido, o que leva ao reaparecimento da doença. Para prevenir a Erisipela, a médica recomenda rigor com a higiene pessoal, além de prevenir e tratar as micoses para evitar portas de entrada da bactéria. Recomenda, também, o controle de doenças de base, como hipertensão, diabetes, obesidade e varizes. “Todas elas podem causar inchaço nas pernas e provocar a perda de imunidade, aumentando as chances do reaparecimento da Erisipela”, adverte Drª. Adriana.

ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL