Informação sobre erisipela, causas, sintomas, diagnóstico e tratamento da erisipela, assim como formas de melhorar os sintomas desta doença.


Diagnóstico da erisipela

O diagnóstico é clínico, pela história e exame físico. Na anamnese, além das queixas, deve se pesquisar viagem a zonas endêmicas, uso de drogas injetáveis e contato com outros agentes químicos. No exame físico devem ser observadas a presença de possíveis portas de entrada, além das lesões detectadas no trajeto linfático e linfonodos regionais, dolorosas e com características inflamatório/infecciosas, que podem passar despercebidas nas linfangites profundas.
Exames laboratoriais: o hemograma pode mostrar alterações sugestivas de infecção bacteriana, viral ou parasitária (eosinofilia); hemocultura, PCR e ASLO positivos, que se normalizam com a cura do paciente. No entanto, quando houver dificuldade de identificar o agente causal, podem ser usados testes sorológicos e biópsias, laminas com colorações especificas e culturas para bactérias e fungos. Apesar do custo, a ressonância nuclear magnética pode ser útil, pois detecta alterações de partes moles, demonstrando a presença e extensão da infecção, como celulite, fasceiíte, miosite, linfadenite e linfangite.
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL