Informação sobre erisipela, causas, sintomas, diagnóstico e tratamento da erisipela, assim como formas de melhorar os sintomas desta doença.


Epidemiologia da erisipela

A erisipela é uma patologia frequente na prática clínica.
É encontrada no mundo inteiro, sendo 10-100 casos/100.000 habitantes, em todas as camadas sócio-econômicas, porém predominando em populações mais pobres e em locais de clima quente e úmido, no verão, mais em adultos.

Predomina (85%, em média) nos membros inferiores, sendo mais rara nos membros superiores e na face, bem como em localizações atípicas, como abdome e coxa, geralmente em pacientes portadores de obesidade ou com imunidade comprometida.
Algumas publicações sugerem um aumento de incidência nas últimas décadas.
O sexo feminino é o mais atingido e afecta sobretudo os adultos entre os 40 e 60 anos.

Erisipela é uma infecção bacteriana

Erisipela é uma infecção bacteriana da pele que envolve a derme superior, que caracteristicamente se estende para o sistema linfático cutâneo superficial. Causa sensibilidade, intensamente eritematosa, e forma uma área endurecida com uma fronteira bem demarcada. Sua margem bem definida pode ajudar a diferenciá-lo de outras infecções de pele.
Erisipela foi rastreada na Idade Média, onde foi referida como fogo de Santo António, em homenagem ao santo cristão a quem os aflitos apelavam para a sua cura. Por volta de 1095, a Ordem de St. António, uma congregação católica romana, foi formada na França para cuidar de pessoas com a doença. Na época, várias doenças foram agrupados sob este epónimo, incluindo ergotismo e herpes zoster (cobreiro).

Historicamente, erisipela ocorria na face, mas na maioria dos casos de hoj envolve as pernas. A bactéria estreptocócica Streptococcus pyogenes dp Grupo A causa a maioria das infecções faciais, embora também possa causar erisipela nas pernas, uma percentagem crescente de infecções dos membros inferiores estão agora a ser causadas por não-estreptococos do grupo A.


ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL