Informação sobre erisipela, causas, sintomas, diagnóstico e tratamento da erisipela, assim como formas de melhorar os sintomas desta doença.


Bacteriologia da erisipela

A erisipela é uma infecção bacteriana causada, em regra, pelo estreptococo do grupo A (Streptococcus pyogenes). Em menor percentagem, outros estreptococos ß-hemolíticos, nomeadamente dos grupos B, C e G, podem estar na sua origem.

Os estudos microbiológicos revelam uma incidência de 10-17% para a etiologia estafilocócica (Staphylococcus aureus), embora alguns autores questionem o carácter patogénico do seu isolamento, sobretudo quando é obtido a partir de amostras de pele.

Complicações da erisipela

As complicações de erisipela geralmente não são fatais, e na maioria dos casos resolve-se após a antibioticoterapia sem que restem sequelas. No entanto, o tratamento imediato da doença é crucial, pois a progressão pode se potencialmente rápida. Além da administração de antibióticos, assistência ao paciente inclui:
- O tratamento sintomático de dores e febre;
- Hidratação (ingestão oral se possível);
- Uso de compressas frias;
- Elevação e repouso do membro afetado: Recomendado para reduzir inchaço locais, inflamação e dor;
- Pensos húmidos salgados devem ser aplicados para lesões ulceradas e necróticas e trocados a cada 2 a 12 horas, dependendo da gravidade da infecção.

Cuidados cirúrgicos

Desbridamento torna-se necessário apenas em infecções graves com necrose ou gangrena.

Cuidados de internamento

A hospitalização e um controlo rigoroso com recurso a antibióticos por via intravenosa são recomendados em casos graves e nos casos de crianças, idosos e pacientes que estão imunocomprometidos. Também é recomendado para pacientes que não são susceptíveis de completar o curso do tratamento, como resultado de razões psicossociais, económicas ou doença subjacente significativa.


ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL